Educação: Namoro

Um conjunto de textos sobre educação e namoro. Pela sua ligação ao amor capaz de formar uma família, o qual é essencial na vida e na felicidade, o namoro é muito importante na vida de uma pessoa. Conhecer bem uma pessoa com a qual podemos vir a compartilhar de forma especial a vida.


Namoro prematuro e relações pré-matrimoniais

É prematuro um namoro quando os jovens não sabem situar a atração física dentro da dimensão total da pessoa, isto é, quando não são capazes de sujeitar o instinto às exigências de um amor que compromete todo o ser, corpo e alma. Nesta situação de imaturidade, existe um forte risco de chegarem às mal chamadas “relações pré-matrimoniais”, isto é, à relação carnal entre os namorados. Não pretendo afirmar, porém, que o namoro prematuro seja a única nem a principal causa dessa anomalia.

Ler o texto completo

Nunca uma rapariga deixou de casar pelo facto de ser virgem

Nunca uma rapariga deixou de casar pelo facto de ser virgem. Pelo contrário, muitas perderam casamento por não o serem, e, quando não perderam, os maridos que as aceitaram experimentaram uma dor intensa ao tomar conhecimento das histórias passadas, pelo que a rapariga acabou a magoar profundamente aquele de quem mais gostava e, portanto, a quem menos quereria causar dor.

Ler o texto completo

Muitas raparigas sabem que o seu namoro correu bem até ao dia em que aceitaram ter relações sexuais

Muitas e muitas raparigas sabem que o seu namoro correu bem até ao dia em que aceitaram ter relações sexuais. A partir daí o relacionamento começou a azedar arrastando-se penosamente até acabar. Isto para a maioria delas é incompreensível: porque azedou a relação depois da prova suprema de amor? Para além do que se disse no ponto anterior (o rapaz passa a achar que a rapariga não é séria, não é como a mãe dele), há aqui um mal entendido medonho que resulta do facto de a mulher aplicar ao homem o seu modo de ver a sexualidade. Os homens são mais directamente carnais: podem experimentar o simples valor sexual do corpo duma mulher totalmente à margem da sua afectividade ou do seu valor pessoal. O homem é assim e é bom que a mulher o saiba. O facto de estarem a ter relações sexuais não é uma garantia de que o namorado está profundamente apaixonado, envolvido, agarrado, seguro, etc.

Ler o texto completo