A sexualidade acaba a introduzir duas anomalias no namoro. Em primeiro lugar, diminui a liberdade. Quando não há relações, a pessoa está livre de equacionar as virtudes e os defeitos, os prós e os contra, e decidir se casa ou não. Mas quando há relações a pessoa tem que equacionar tudo isso com o facto de já ter tido relações. Muitas amigas e confidentes já ouviram lamentos do tipo: “Ele tem estas virtudes, mas também tem aquele problema… não sei o que faça. Além do mais eu já fui tão longe na intimidade com ele. Não me sinto com coragem para iniciar uma nova relação onde terei de reconhecer que não sou virgem…”. Daqui resulta a tendência para se ser mais tolerante com os defeitos do outro e, como estes jogam contra a felicidade do casal, as relações pré-maritais acabam a jogar contra a felicidade no casamento.

(João Soares)