The incredibles

Realizador: Brad Bird

Actores: Animação

Música: Michael Giacchino

Duração: 112 min.

Ano: 2004

Um filme de animação pode parecer à primeira vista pouco adequado para empresários… mas não é este o caso. “Os incríveis” têm vários níveis de leitura e um é orientado para o mundo dos negócios.

Um homem que trabalha numa companhia de seguros procura ser honesto, pensar primeiro nos clientes, prestar um bom serviço, ser leal à empresa e a todos os que nela confiam. Mas o mais curioso é que este simples funcionário tinha algo de especial: já fora um super-herói. Lutara contra o mal, ultrapassara desafios insuperáveis, enfrentara inimigos sem se deixar abater pelo medo. Agora vivia uma vida normal, pacata, cuidando da sua família. A mulher também era uma antiga super-herói e os três filhos ainda pequenos tinham super poderes mas pouco desenvolvidos. Os pais preferiam transmitir-lhes que o verdadeiro poder estava no interior de cada pessoa, no seu modo de ser e de se comportar, no esforço pessoal por cumprir o dever e de pensar no bem dos outros.

A figura do pai é um bom exemplo. No emprego tentava ajudar os clientes, com as melhores soluções financeiras e fiscais. O chefe repreende-o, explicando-lhe que devia pensar em primeiro lugar no lucro da empresa. O nosso herói fica confundido. Então as empresas não existiam para servirem os clientes? O objectivo seria o lucro pelo lucro, sem olhar a meios? Quais os pilares da credibilidade da companhia?

Quando tantos escândalos abalam as empresas no mundo, com vários presidentes de conselhos de administração investigados judicialmente, é útil olhar para este filme, pois toca no ponto fulcral: é possível e é rendível ser honesto, virtuoso e exemplar? A resposta que o argumentista desta obra nos dá é positiva: a honestidade deve ser vivida pessoalmente e essa confiança que cada um cria à sua volta, é que dá credibilidade à empresa no seu conjunto.

Muitas pessoas não se regem por estes princípios. Muitas pessoas deixam-se levar “pelo que todos fazem”, pelo “imediato”, “pelos fins que não justificam os meios”, mas essas pessoas, no fundo da sua consciência, bem sabem que não são nem nunca serão heróis. No filme vamos sendo confrontados com situações “incríveis”, dilemas cuja resolução não é simples e que envolvem diversos aspectos. Mas nessas situações de crise, de risco, é que surgem as verdadeiras oportunidades de cada um mostrar o que vale, o que sabe e no fim de contas, aquilo que ele próprio é.

O filme venceu o óscar para a categoria de animação, vencendo entre outros, o “Shrek”. O segredo de tanto sucesso, é o guião: um enredo ágil, verosímel e actual, baseado no “herói” que cada pessoa traz no seu interior, revelando todas as suas capacidades e qualidades na vida familiar, profissional e na relação com os outros. Não é fácil ser-se herói, mas é mais simples do que se julga e os resultados surpreendem.

Tópicos de análise:

1. A liderança assenta no exemplo pessoal.

2. As virtudes adquirem-se repetindo actos bons.

3. Os desafios são oportunidades de crescimento.

4. Um bom serviço ao outros é a chave do sucesso.

Encontra aqui uma curta apresentação de algumas dezenas de filmes, contendo os dados principais de cada um deles, um resumo e alguns tópicos de análise. Não se trata de filmes aconselhados por nós, mas apenas de algumas ideias que podem ajudar a escolher um filme ou a tirar partido dele do ponto de vista educativo.

Colaboração de Paulo Martins, Mestre em História e doutorando em Cinema.