Filme Ser e ter

Être et avoir

Realizador: Nicholas Philibert

Actores: George Lopez (o próprio)

Música: Philippe Hersant

Duração: 104 min.

Ano: 2002

A realização pessoal de qualquer indivíduo tem sempre em conta a sua profissão, seja ela qual for. Tudo depende do sentido com que encaramos o trabalho e quais os objectivos que pretendemos alcançar. Esta é a questão principal do filme “Ser e ter”.

A acção decorre nos anos 90, numa pequena escola francesa de província. Um professor concorrera para aquele lugar com um propósito bem determinado: ensinar. Era um desafio. Teria de leccionar na mesma sala para crianças muitos diferentes em idade, conhecimentos e até de raças, pois a mobilidade laboral já chegara à vila. As idades dos alunos variavam dos quatro aos onze anos.

O filme acompanha um ano lectivo. Com o passar do tempo, seguiremos o decorrer das quatro estações. No Verão, os alunos mais velhos iriam para o liceu. Os mais novos continuariam os seus estudos com a chegada das novas crianças… A intenção deste realizador foi revelar o mais autenticamente possível o que foi a vida do professor, como enfrentava as dificuldades que surgiam no dia a dia e como resolvia as disputas que surgiam entre as crianças. Retrata com esmero o modo como estabelecia a programação marcando os objectivos e prazos, como preparava as aulas tendo em conta as capacidades de cada aluno e o planeamento das actividades concretas que previa para as diferentes situações. O professor tinha a noção clara de que não estaria ao lado destas crianças para sempre. Por isso, procurava criar e desenvolver a autonomia de cada um dos alunos, propondo-lhes trabalhos onde tinham de tomar decisões e revelar iniciativa. Estimulava-os também a irem ao quadro para vencerem o medo de serem gozados pelos colegas. E claro, conversava com cada um, ouvindo-os com tempo e com interesse, dando-lhes os conselhos que julgava apropriados.

No final o professor é entrevistado. São perguntas simples com respostas ainda mais simples, sobre a vida, a sua profissão, o ensino, pois o professor e os alunos são os próprios actores. Não há personagens, o que há são as próprias pessoas de carne e osso, mostrando uma humanidade que está no nosso poder construir.

Tópicos de análise:

1. O sentido do trabalho na realização pessoal de cada um.

2. Estabelecer metas e prazos é essencial para resolver os problemas concretos

3. Conhecer a realidade torna possíveis as propostas a apresentar.

4. O exemplo pessoal é o modo mais eficaz de formar os colaboradores.

Encontra aqui uma curta apresentação de algumas dezenas de filmes, contendo os dados principais de cada um deles, um resumo e alguns tópicos de análise. Não se trata de filmes aconselhados por nós, mas apenas de algumas ideias que podem ajudar a escolher um filme ou a tirar partido dele do ponto de vista educativo.

Colaboração de Paulo Martins, Mestre em História e doutorando em Cinema.