Killing fields

Realizador: Roland Joffé

Actores: Sam Waterson, John Malkovich, Haig S. Ngor

Música: Mike Oldfield

Duração: 141 min.

Ano: 1984

Os filmes de guerra são na sua maioria filmes poderosos. Neste caso, ao tratar-se de uma história real, o resultado é uma obra prima. Vencedor de vários Óscares, retrata de um modo bastante cru, o regime marxista dos Khmers Vermelhos no Cambodja, depois do final da guerra no vizinho Vietname.

Do ponto de vista económico, assistimos à destruição de um país, através de um férreo controlo estatal e de medidas contrárias à livre iniciativa e à propriedade privada de cada um dos habitantes. Mas o que neste filme vale a pena analisar, são as narrativas individuais de quem viveu essa situação.

Começamos por acompanhar a trajectória de um grupo de jornalistas que fazia a cobertura dos acontecimentos. De ferozes concorrentes uns dos outros, tornam-se companheiros unidos no mesmo esforço por realizarem as suas tarefas, bem conscientes de que só estando juntos conseguiriam sobreviver. E o seu papel era essencial para denunciarem o que se estava a passar. Um dia, recebem ordem de expulsão. Têm de se retirar, deixando para trás amigos e colegas jornalistas cambodjanos. A cena do abandono da embaixada americana é de antologia. A história segue então o percurso de um desses jornalistas locais fugindo do Cambodja e ao mesmo tempo, do seu colega americano que a partir dos EUA tentava desesperadamente restabelecer o contacto entre os dois para o ajudar a abandonar o país.

As vidas destes dois jornalistas tornam-se o fulcro da acção. As estratégias que definiram, as dificuldades que tiveram de ultrapassar, a selecção de pessoas em quem confiar, o saber analisar os factos e os mais ínfimos pormenores para decidir que atitudes tomar, tudo isso é mostrado com muito realismo e autenticidade.

No fim dá-se um “happy end” embora a situação do país tenha continuado a ser dramática por vários anos. O próprio filme tentou ser mais uma voz de alerta, não só sobre uma questão internacional mas também sobre a vida pessoal de cada um de nós. O que estava em jogo eram as decisões pessoais, individuais, que se repercutem sobre os outros, tal como acontece na vida empresarial e económica de um país, de uma empresa, de uma família, de uma pessoa…

Uma chamada de atenção para a banda sonora de Mike Oldfield e músicas da época que constrói todo o ambiente e cria a atmosfera e os estados de espírito do drama que se desenrola no interior de cada um.

Tópicos de análise:

1. Saber analisar a realidade que nos envolve.

2. Criar oportunidades e não aproveitar apenas as que surgem.

3. A arte de se rodear de pessoas de absoluta confiança.

4. Definir claramente os objectivos é essencial para chegar à meta.

Encontra aqui uma curta apresentação de algumas dezenas de filmes, contendo os dados principais de cada um deles, um resumo e alguns tópicos de análise. Não se trata de filmes aconselhados por nós, mas apenas de algumas ideias que podem ajudar a escolher um filme ou a tirar partido dele do ponto de vista educativo.

Colaboração de Paulo Martins, Mestre em História e doutorando em Cinema.