Um dos grandes defeitos do nosso mundo é a fragilidade da vontade.
Parece que as pessoas estão vacinadas contra todo o género de esforço, enquanto o prazer, a comodidade, os caprichos, a superficialidade e a desordem constituem a lei.
Tudo nos leva a crer que a força de vontade – a fortaleza – cada vez escasseia mais.
Quando há um problema conjugal, o mais fácil é destruir o casamento. O divórcio apresenta-se como uma solução muito prática e atractiva. As crianças e os jovens fogem de qualquer esforço. O prazer sexual é agora a coisa mais importante para muitas pessoas.
Porquê tanta debilidade? Por que razão temos tanto medo do esforço?

Como é uma pessoa que vive a virtude da fortaleza?

Considera-se que uma pessoa é forte – que vive a virtude da fortaleza – quando, em situações que podem atentar contra a sua própria pessoa, resiste às influências prejudiciais, suporta todas as dificuldades que encontra e se entrega com valentia para ultrapassar os obstáculos e empreender coisas grandes.
A virtude da fortaleza torna a vontade férrea, de aço, inflexível perante as dificuldades, os desânimos e os problemas, pequenos ou grandes, da vida de todos os dias.
A vontade enche-se de valentia para acometer, para se lançar sobre o inimigo.

Resistir às dificuldades

Dizíamos que uma pessoa que vive esta virtude, em primeiro lugar, resiste às influências prejudiciais, suporta as incomodidades que encontra. Esta é a primeira faceta da virtude: resistir às dificuldades, suportar as incomodidades. Quantas pessoas há que não são capazes de suportar nem o mais pequeno incómodo? Quantas haverá que não resistem às influências que lhes fazem dano? Por que sucede isto? Simplesmente porque não cultivaram em si mesmas a Fortaleza de espírito.
A vontade, enfraquecida, cede facilmente perante as dificuldades, por mais pequenas que sejam.
Quem não está habituado ao esforço dificilmente poderá resistir às dificuldades da vida.

Que nos propõe o mundo de hoje no que respeita às dificuldades, por exemplo, no casamento?.
Basta vermos alguns filme ou telenovelas para observarmos que, perante as dificuldades próprias de um casamento, a solução mais fácil e cómoda é destrui-lo. Ir com outra pessoa. Esquecer e recusar o compromisso que se contraiu livremente.
Por que acontece isto? Pela debilidade da vontade, pela pobreza da vivência da fortaleza nas pessoas.
Para resistir ao embate das ondas é preciso ser forte. Para resistir às dores provocadas por uma doença é preciso ser forte. Para resistir ante as alterações de humor, de estado de ânimo, é preciso ser forte.
Quantas vezes te deixaste levar pelo mau humor? Quantas vezes perdeste o controlo pessoal por falta de fortaleza? De que maneira feriste os outros por não teres sabido ser suficientemente forte para te dominares a ti mesmo? Quantas vezes não tiveste a coragem de te responsabilizares pelas consequências das tuas decisões? Quantas…?

A virtude da fortaleza no seu aspecto de resistir não se dá gratuitamente. É necessário ir formando essa virtude, dia após dia, de preferência desde pequenos.
Começa hoje mesmo, dominando-te em pequenas coisas que exijam um esforço: levantares-te imediatamente da cama, arrumar bem as tuas coisas, privar-te de algum gosto superficial, ser paciente com os teus filhos, dar gosto ao teu cônjuge, não deixar as coisas fora do seu lugar.
Enfim… um sem número de coisas pequenas que hão-de construir em ti, pouco a pouco, a virtude da fortaleza, como sucede com aquele pedreiro que, tijolo a tijolo, constrói uma bela casa.

Cansaços, esforços e constância darão como fruto a vivência da virtude. Recordemos que, humanamente, a pessoa que quer ser madura, e cumprir o seu fim natural de crescer como tal, tem, necessariamente, de ser dona de si mesma: dona das suas decisões, senhora das suas inclinações e instintos.
A criança procura sempre satisfazer os seus caprichos porque ainda não formou a virtude da fortaleza. Mas… um adulto? Um adulto pode ser escravo da sua preguiça, das suas iras, dos seus maus humores? Se não possuir uma fortaleza pessoal que resista a estas dificuldades, nunca chegará a ser verdadeiramente adulto.

Resistir: o grande desafio do homem perante as dificuldades. Dificuldades internas, que lhe vêm a partir de dentro devido ao egoísmo, por se amar a si mesmo. Dificuldades externas, que a vida nos apresenta todos os dias: encontrar o sustento, conservar aquilo que se tem, estudar, melhorar…

Se quiseres que os teus filhos triunfem na vida, que permaneçam sempre fiéis a Deus, que resistam às dificuldades das suas próprias vidas, ajuda-os a exercitarem-se diariamente na formação da virtude da fortaleza na sua primeira forma: RESISTIR.

Atacar os obstáculos

Muitas vezes pensamos que a fortaleza se limita a suportar as dificuldades que se nos apresentam. No entanto, ela é importante para nos entregarmos com valentia e ultrapassarmos os obstáculos que nos impedem o caminho, lançando-nos a acções e empreendimentos grandiosos.
A preguiça… é necessário vencê-la com esforço, com entusiasmo, com decisão. Conseguir uma coisa melhor para a casa, sem dúvida que custa esforço. Apenas a pessoa forte será capaz de o alcançar. O esforço é a sua medida. Não chega suportar as dificuldades: é preciso atacar com decisão e valentia essas contrariedades. Quantas horas e horas de esforço são precisas para ensinar alguma coisa aos filhos? Quanta paciência é necessária para construir essa casa em pedra? Quantos anos é preciso dedicar para concluir os estudos? A pessoa forte, aquela que sabe acometer essas dificuldades, será vitorioso. Aquele que se decidir a remar na sua lancha para atravessar o mar precisará de muita força e de muita constância para chegar a um porto seguro.

Para nos formarmos na fortaleza, é preciso que nos esforcemos com valentia. Para conseguires que a tua família seja uma autêntica família, de acordo com aquilo que Deus quer para ela, não basta resistires às dificuldades: terás de te enfrentar com elas, agarrar o touro pelos cornos e pores-te a trabalhar para que o teu lar melhore todos os dias.

Para alcançar a vida eterna é preciso esforçar-se. Jesus diz-nos: «O Reino dos Céus alcança-se à força». Quem se esforçar formará em si mesmo a virtude da fortaleza.

As grandes batalhas ganham-se lutando. Aquele que se sentasse a contemplar o exército inimigo nunca o poderia vencer. Aquele que quiser ser melhor terá de se esforçar para o ser. O jovem que quiser obter uma boa nota na escola terá de se esforçar. O marido que quiser amar a esposa terá de se esforçar para lhe dar o melhor. A esposa que quiser amar o marido procurará, da mesma forma, tudo aquilo que o torne feliz. Quem quiser educar os seus filhos precisará de grandes e constantes esforços, para que eles, ao longo dos anos, se formem como verdadeiras pessoas, como cristãos autênticos. Quem quiser alcançar a vida eterna que se esforce para o conseguir.
Quando a comodidade se tornar presente na tua vida, ou a preguiça, ou o prazer, lembra-te de que se não for através do esforço não entrarás no Reino dos Céus.
Tem cuidado com os prazeres fáceis que o mundo te oferece, pois hão-de afastar-te de Deus.
Cuida de ti mesmo quando vierem a impaciência e o mau humor. Vence-te! Esforça-te.
Cuida da tua fé, da amizade com Deus quando enfrentares uma tentação. Sê forte. Resiste. Não te deixes vencer.

(Francisco de Paula Cardona Lira – Catholic Net)