Quando pensamos na diferença sexual, a primeira pergunta é a mais elementar: por que está a raça humana dividida em homens e mulheres? Se não sabemos responder a esta pergunta, dificilmente poderemos saber em que consiste ser homem ou mulher, dificilmente poderemos entender como têm de ser as relações entre eles.
Homens e mulheres temos muitas coisas em comum: a dignidade humana, a inteligência, a capacidade de iniciativa, a responsabilidade, etc. No essencial, temos uma mesma natureza, que adquire matizes diferentes segundo se expresse em masculino ou em feminino. Temos quase tudo em comum. O que é que causa a diferença sexual? Faça o leitor a pergunta a si próprio.
A única resposta convincente é que é preciso ter filhos. Se não fosse necessário ter filhos, as pessoas não se dividiriam em homens e mulheres. E as nossas relações de amor seriam distintas das que são agora. Se existe o amor entre homem e mulher, é porque existem homens e mulheres. E existem homens e mulheres pela necessidade de ter filhos. Isto leva-nos a considerar que aquilo que é específico e diferenciador do homem é ser um possível pai, e aquilo que é específico e diferenciador da mulher, é ser uma possível mãe. O resto é comum a homens e mulheres.

(Mikel Gotzon Santamaría Garai, in Saber Amar com o Corpo)