Wag the dog

Realizador: Barry Levinson

Actores: Dustin Hoffman; Robert de Niro

Música: Mark Knoffler

Duração: 97 min.

Ano: 1997

A informação é um assunto decisivo para a actividade económica. Por isso, faz sentido referir alguns filmes que abordem esta questão e “Manobras na Casa Branca” é um deles. Trata-se de uma comédia sobre a manipulação da informação; a criação de “opinião pública”; e o poder dos “mass media”. É importante ressaltar que o filme foi realizado antes da intervenção norte-americana nos territórios da ex-Jugoslávia e nos Balcãs. De facto, pode haver algumas semelhanças com o que aconteceu na realidade… O filme começa em plena campanha eleitoral para umas presidenciais americanas, quando faltam poucos dias para o dia do escrutínio. O candidato à reeleição vê-se de repente no meio de um escândalo. Torna-se necessário abafar o caso. Cria-se uma equipa de especialistas “em comunicação e imagem” com o objectivo de distrair as pessoas para outros assuntos. Assim, pouco a pouco, a agenda eleitoral vai-se alterando à medida que vão surgindo temas que se tornam prioritários, como um possível ataque terrorista, uma guerra eminente, o “fabrico” de um herói de guerra, etc. Merecem ser analisadas as diversas cenas em que os especialistas do “show business” discutem a melhor estratégia a seguir no fabrico de cada “facto” e no “tom” com que deve ser transmitido pelos “mass media”. Nem tudo corre bem, mas o optimismo do líder do grupo e a sua capacidade organizativa vão conseguindo ultrapassar todos os problemas, até que se chega ao próprio dia das eleições, o dia da vitória, o dia da verdade… A cena final tem uma “moral da história” como nas antigas fábulas. Neste caso, o personagem principal gostaria de ver reconhecido o êxito do seu esforço para a reeleição, mas depois de tantos enganos ao serviço de outros tantos interesses, não há espaço para a verdadeira realidade e tudo acaba por perder, apesar de tudo ter ganho…

Em suma, é um filme que procura despertar um espírito crítico sobre a informação que nos é veiculada continuamente pela imprensa e pela televisão. A música tem um papel de destaque ao longo de toda a história, com algumas canções de Mark Knoffler explicitamente orientadas ideologicamente para os assuntos que vão sendo abordados, tal como acontece tantas vezes na realidade.

Tópicos de análise:

1. O papel da propaganda.

2. O acesso à informação e a manipulação das notícias.

3. A criação de factos.

4. O trabalho de equipa e o papel do seu líder.

5. A importância do “verdadeiro” e do “autêntico” na realização pessoal.

Encontra aqui uma curta apresentação de algumas dezenas de filmes, contendo os dados principais de cada um deles, um resumo e alguns tópicos de análise. Não se trata de filmes aconselhados por nós, mas apenas de algumas ideias que podem ajudar a escolher um filme ou a tirar partido dele do ponto de vista educativo.

Colaboração de Paulo Martins, Mestre em História e doutorando em Cinema.