O marido (a mulher) é superior ao namorado (namorada). Não faz sentido dar o mais (a virgindade, a sexualidade, a intimidade) ao namorado (namorada) e dar o mesmo ou menos ao marido (à mulher). O mais para o mais, o menos para o menos. A virgindade é para o cônjuge. Tanto o rapaz como a rapariga devem ter presente o futuro marido ou a futura mulher. O seu pensamento não pode estar no que podem dar ao namorado actual, mas no que vão dar ou deixar de dar ao cônjuge de sempre.

(João Soares)