Dedicar tempo aos filhos não é questão de tempo. É questão de ritos. Criar laços. Este é o segredo.

1.- Se todos os dias, antes de adormecer, contares ao teu filho um conto, ele sentir-se-á querido. São os ritos. São necessários.

2.- Brinca com teus filhos, embora só possas fazê-lo um bocadinho de tempo em cada semana. Podemos pensar que um pequeno gosta de brincar porque é o próprio da idade. Mas é mais do que isso. As crianças gostam muito das pessoas que brincam com elas. Experimenta. Não é necessário estudar psicologia para aprender esta realidade.

3.- Responde às suas intermináveis perguntas, ainda que , às vezes, te apanhe cansado e fiques nervoso. Uma criança não pergunta tanto por saber as coisas – também por isso – mas, sobretudo, para se sentir importante perante quem lhe responde.

4.- Embora seja pequeno, pede-lhe que te ajude em alguma coisa, ainda que essa ajuda seja mínima e simples. Lembra-te de que o carinho se consolida melhor quando as crianças se acostumam a dar, e não a receber tudo.

5.- Dá um beijo a teu filho quando o vires pela manhã e quando se deita. Tão simples quanto isto.

6.- Convém fazer planos exclusivos para a família quando as crianças são pequenas. Pais e irmãos juntos, e ninguém mais. Para isso estão os domingos. O teu filho – embora não saiba exprimi-lo – estará desejando que chegue esse dia.

7.- Surpreende-o, de vez em quando, com algo que saia do costume. Se nunca vais buscá-lo à escola, porque não podes, no dia em que puderes fá-lo. Mas, não fundamentes as manifestações de carinho no inesperado ou no grandioso – presentes e presentes – porque a rotina – no seu sentido positivo – é necessária com os pequenos.

8.- Diz-lhes sempre a verdade. Adequada à sua idade, mas a verdade. Faz um dano especial a um miúdo descobrir que o papá ou a mamã lhe mente.

9.- Não discutais, os pais, diante dele. Pensará que papá ou mamã é mau ou má. E, embora seja pequeno, não poderá evitar tomar partido por um dos dois.

10.- Não lhe grites. E não porque ele possa sofrer uma frustração. Mas porque se gritares pensará que não o amas.

11.- Tem autoridade. Se uma criança faz o que quer, ou consegue o que quer, irá alimentando a ideia de que, no fundo, lhe dás pouca importância.

12.- Pergunta-lhe muitas coisas. Os adolescentes incomodam-se com as perguntas, mas os pequenos ficam encantados com elas.

Continua tu próprio a lista.

E nem passará pela cabeça do teu filho a ideia de que não lhe dedicas tempo. E tu, pai ou mãe, embora não o tenhas, fica tranquilo porque estarás a fazer as coisas bem.

Josemanuel Tarrío .

Piensa un Poco, 27.10.2003. Traduzido por MM