A actividade

Por actividade entende-se a tendência que leva a agir e a trabalhar mais pelo gosto da actividade em si do que pelo seu resultado. Em sentido caracterológico, a actividade corresponde a uma necessidade íntima e constante do indivíduo: é a sua “energia”. É activa a pessoa que, perante um obstáculo, procura superá-lo, e para isso aumenta a sua capacidade de acção. É inactiva a pessoa que, ao contrário, desanima diante de um obstáculo.

A actividade caracteriza-se pela tendência a estar sempre ocupado, mesmo nos tempos livres; pela facilidade e desembaraço no esforço; por passar da decisão à acção sem inércia; pela tenacidade na consecução dos propósitos, unida à facilidade e à rapidez em recuperar as energias gastas e à necessidade íntima de realizar imediatamente o que foi decidido. Já a inactividade faz-se acompanhar de um certo cansaço e lentidão no agir, da inclinação evidente para a preguiça – que, no entanto, não é verdadeiramente preguiça, mas expressão de uma carência de energia -, da tendência para desanimar facilmente porque não se consegue fazer o que se quereria.

“Conhecer o temperamento dos filhos”

(Anna Maria Costa, in “Conheça seu filho”, 3ª edição, Quadrante, São Paulo, 1995″)