O quadro caracterológico

Da combinação desses três elementos – emotividade, actividade, ressonância – resulta o seguinte quadro:

Emotivo, inactivo, primário – nervoso;
Emotivo, inactivo, secundário – sentimental;
Emotivo, activo, primário – colérico ou dinâmico;
Emotivo, activo, secundário – apaixonado;
Não emotivo, activo, primário – sanguíneo;
Não emotivo, activo, secundário – fleumático;
Não emotivo, inactivo, primário – amorfo;
Não emotivo, inactivo, secundário – apático.

Este quadro tem o valor de um esquema de referência. Na realidade, nunca encontramos o tipo perfeito do fleumático ou, por exemplo, do amorfo, dada a complexidade da pessoa humana e a individualidade que a caracteriza. As páginas que se seguem devem, portanto, constituir apenas um ponto de referência para os pais, que lhes permita ampliar os seus conhecimentos e os modos de intervir no relacionamento com os filhos. E óbvio que este esquema não deve servir para aplicar um último “rótulo” aos filhos!

“Conhecer o temperamento dos filhos”

(Anna Maria Costa, in “Conheça seu filho”, 3ª edição, Quadrante, São Paulo, 1995″)